quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Um twitter na mão



Depois do caso Tylenol, mais um erro de remédio abala a área de Relações Públicas.Esse video é uma reação a uma propaganda que a Johnson&Johnson fez para o remédio Motrin.

É eu sei que não foi criação da J&J,da agência, mas em se falando em imagem institucional recai sobre quem? sim, a empresa. A propaganda era direcionada às mães americanas que tem o hábito de carregar bebês em faixas grossas a tiracolo, e segundo o anúncio dava dor na coluna.

A reação das mães americanas foi inusitada. Elas começaram a reclamar do anúncio via twitter, o microblogging. E provocou uma reação em cadeia com video no youtube, como esse dai. A saída da J&J foi tirar a propaganda do ar e fazer um mea culpa, com anúncio na mídia de massa e via redes sociais.

Claro que poucas mães aqui usam essa tiracolos, e menos mães ainda usam o twitter.. mas fica ai o exemplo, quando o consumidor sabe o que quer, a pressão dele pode sim, fazer mudanças.

* Fonte blog do Bruno Amaral
* Um fato curioso, eu sou uma das pessoas resistentes ao twitter.. rs

4 comentários:

Elvira disse...

Hum... Poxa! E a propaganda, pelo o que eu entendi, queria conscientizar, né? E as mães não aceitaram, e ainda reclamaram. ¬¬
Eu não achava legal mesmo essa forma de carregar os bebês.
Sobre twitter... Já tenho três blogs e orkut. Prefiro, pelo menos por enquanto, não me aventurar no twitter. ehehe

Aaaah, sim! Favoritei o Oras Blog, claro! O que eu achar de legal em RP favorito mesmo! =)

Até mais!!!

Marcia Ceschini disse...

Olá Elvira,

O objetivo da propaganda não era conscientizar, era afirmar que carregar o bebê daquela maneira dava dor nas costas, por isso a reação das mães.
Cá entre nós, eu tbm não gosto da maneira de carregar o bebê assim.

Obrigada pelo link. Vamos trocando firgurinhas, ok?
beijocas

milton toshiba disse...

Acho que os microblogs vieram para ficar!


bjs

Monica disse...

Carregar bebê (de qualquer maneira) depois que ele pesa mais que 10% do peso corporal de quem carrega dá sim dor nas costas. A vantagem do baby sling é que os braços da mãe ficam livres. Carregar ou não a criança é uma decisão exclusiva da mãe. Meter o nariz na relação entre a mamãe e o bebê é o fim da picada! Afff não é por aí não meu filho! Ainda mais qdo elas estão na fase 'mamãe leoa defendendo a cria'. A agência errou feio, simplesmente esqueceu de olhar para a natureza. Anyway, shite happens! :) Holy Internet! hehehe